Reader Comments

Dia Mundial Da Fibromialgia E Síndrome Da Fadiga Crônica, O Que São?

by Dr. Assis (2018-09-17)


Dia Mundial Da Fibromialgia E Síndrome Da Fadiga Crônica, O Que São? Inscreva-se agora e receba em seu email os conselhos de saúde de Sanitas para ter uma vida mais saudável, longa e feliz. Amparada pelos melhores profissionais médicos. Por Favor, insira seu endereço de e-mail 04 de abril de 2017 06 de abril de 2017 Home / Saúde / 12 de maio: Dia Mundial da Fibromialgia e da Síndrome de Fadiga Crônica 12 de maio: Dia Mundial da Fibromialgia e da Síndrome de Fadiga Crônica Dor muscular e cansaço extenuante são os principais sintomas dessas doenças. Suas causas são desconhecidos e não há um tratamento específico para curá-los, mas sim mudanças no estilo de vida para diminuir seus efeitos. O que é a fibromialgia e síndrome de fadiga crónica A fibromialgia é uma síndrome orgânico e mutações que gera zonas chamadas de pontos sensíveis do corpo, em que se sente dor ao pressioná-los, o que diminui a qualidade de vida dos afetados. Geralmente, costumam estar nas costas, o pescoço, os ombros, os braços, os cotovelos, as pernas, os joelhos, a parte de trás da cabeça e, até mesmo, o quadril. Apesar da dor, os músculos e os órgãos não sofrem dano, ou perigo a vida dos aquejados. Como os sintomas são semelhantes aos de muitas outras doenças, como o hipotireoidismo e a artrite, pode levar tempo, o seu diagnóstico. Ao não ter de análises clínicas ou testes de imagens que determine a presença de fibromialgia, o processo diagnóstico implica ter em conta a história clínica, familiar e pessoal, os sintomas e desde quando estão presentes, medicamentos, vitaminas e suplementos que receber o paciente; realizar um exame físico e alguma prova, como exame de sangue, e ir descartando outras patologias. Entre os sintomas da fibromialgia são: Aumento da sensibilidade à dor. Dor que se move pelo corpo. Rigidez muscular ao levantar-se espasmos musculares. Dor de cabeça. Dificuldade para dormir. Sentir-se muito cansado. Menstruação dolorosa. Por sua parte, síndrome de fadiga crônica se caracteriza mais por um cansaço extremo, que não se consegue eliminar com o descanso. Como a fibromialgia, o seu diagnóstico é complexo, em parte porque apresenta sintomas semelhantes a outras doenças. Dor muscular, de cabeça, nas articulações e musculares; problemas de memória e para dormir, inflamação de gânglios linfáticos e sentir-se mal um dia após a prática de exercício são algumas características da fadiga crônica. Causas As causas de ambos os transtornos, que tendem a ser crônicos de longa duração, são desconhecidos, embora, nos dois casos, é mais frequente nas mulheres -entre 80 e 90 por cento dos diagnósticos de fibromialgia são mulheres, geralmente entre os 40 e os 60 anos. No caso da fibromialgia, fala-se de uma certa relação de alguns fatores, como acontecimentos traumáticos, lesões recorrentes, doenças doenças e algumas doenças -artrite reumatóide, lúpus, artrite da coluna vertebral-, e a possibilidade de que seja hereditária; enquanto que se coloca que a síndrome de fadiga crônica pode se desenvolver por um sistema imunitário fraco algum tipo de vírus. As investigações sobre <a href="https://www.rosivanamaral.com.br/power-red/">power red preço</a> estes transtornos têm permitido avançar alguma coisa neste campo. Um estudo de especialistas da Universidade de Tufts, em Massachusetts, Estados Unidos, sugere que a síndrome de fadiga crônica pode se desenvolver por causa de uma infecção do nervo vagal central. Além disso, cientistas do Instituto Riken e as universidades de Osaka, Kansai, no Japão, encontraram evidências de neuroinflamación em pacientes são síndrome de fadiga crônica. Um trabalho do Centro Nacional de Informação Biotecnológica dos Estados Unidos apontou para a alteração da temperatura corporal, como possível desencadeador da fibromialgia. Em Espanha também se fizeram contribuições: uma investigação dirigida pelo Instituto de Pesquisa da Aids IrsiCaixa identificou oito moléculas e dois biomarcadores imunológicos que podem ajudar no diagnóstico da síndrome de fadiga crônica. Tratamentos Não existe cura, apenas medicamentos como os analgésicos, antidepressivos, anti-convulsivos e medicamentos para dormir, para tratar alguns sintomas, como as dores musculares, alteração do sono, o estresse, mas é possível fazer coisas na vida diária para se sentir melhor. Muitos dos sintomas melhoram com o tempo. Os médicos aconselham: Dormir o suficiente. Fazer exercício, de forma gradual e regular, bem como alongamentos e/ fisioterapia. Levar uma alimentação saudável. Programar uma rotina diária, em função dos momentos com mais energia e menos dor. Pedir apoio a familiares, amigos. Reconhecer o stress e reduzir, por exemplo, com técnicas de respiração profunda, meditação, além de yoga, tai-chi acupuntura. Adaptar o trabalho à nova situação. Expressar os sentimentos. Realizar atividades de concentração para melhorar a memória e apontar as coisas em listas. Resultados Usando as diretrizes que recomendam os especialistas, é possível que os sintomas prejudiquem , às vezes, desaparecer. Por exemplo, o exercício , ao aumentar os níveis de energia e a sensação de bem-estar, tem efeitos curativos. Uma boa alimentação, sem refeições pesadas ou fast food, álcool, cafeína, ajudam os afetados por essas doenças a minimizar os sintomas e o desconforto geral. Outras mudanças no estilo de vida, como dormir mais, são formas eficazes de tratar a fibromialgia. Dia Mundial da Fibromialgia e Fadiga Crónica No dia 12 de maio comemora-se o Dia Mundial da Fibromialgia e Fadiga Crônica desde 1992, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu por comemorar o nascimento de uma reconhecida enfermeira, chamada Florence Nightingale, que foi diagnosticada aos 35 anos com uma doença com sintomas muito parecidos com os de estas doenças.